RISOTTO - RECEITA BÁSICA


BASES DE COZINHA


RISOTTO D' A MOSTARDA NO NARIZ 


Ora, fazer um Risotto tem muito que se lhe diga...
Infelizmente não é fácil encontrar muitos restaurantes que o façam (tal como os Souflês) e os que o fazem nem sempre respeitam as "regras" para que possa ser chamado de Risotto (podem sempre colocar a palavra entre aspas 😏)



REQUISITOS DE UM VERDADEIRO RISOTTO

ARROZ

Para se chamar Risotto terá de ser feito com uma destas 3 espécies de arroz: Arbóreo, Carnaroli ou Vialone Nano. Se fizerem com arroz Carolino, como se encontra por vezes nalgumas receitas espalhadas por esta net, NÃO é Risotto.

amostardanonariz
Risotto de Vieiras, Vodka e Lima d' A Mostarda no Nariz


Infelizmente, em Portugal só encontramos o Arbóreo e o Carnaroli. São todos italianos, mas o Vialone Nano, que é típico do norte de Itália, nunca consegui encontrar em Portugal.

A diferença para o Carolino está não só no tamanho e formato do bago, mas essencialmente no comportamento e consistência do mesmo. Deverá libertar o amido, dando a cremosidade típica do Risotto, mas também manter uma certa resistência à mordida. 

CONFECÇÃO 

Para fazermos um simples arroz solto (Carolino ou Agulha) não há grandes complicações. A regra básica é simples.... o dobro da água em relação ao arroz. Deixar levantar fervura, baixar o lume, ficando apenas a borbulhar  "baixinho" e deixar cozer tapado 10 minutos . Voilá... sai um arroz soltinho.



Se quiserem dar mais sabor é só juntar umas nozes de manteiga com sal e têm um arroz de manteiga saboroso. Outra alternativa, já um pouco mais elaborada é logo no início refogar ou "puxar" um pouco de cebola e/ou alho em azeite, fritar um pouco o arroz e depois adicionar a água em dobro e temperar com um pouco de sal. Deixar cozer como explicado anteriormente. Fica sempre bom!

amostardanonariz
Arroz Basmati d' A Mostarda no Nariz


Tenho encontrado receitas de Risotto que respeitam a espécie do arroz, mas depois falham na confecção. Adicionam mais água ou caldo (o triplo ou mesmo quadruplo da porção de arroz), pois este arroz demora mais tempo para atingir o ponto correto (vem indicado na embalagem), mas cozinham-no exactamente da mesma forma que um arroz tradicional. Colocam toda a água ou caldo de início e deixam-no a cozer o tempo indicado. No final adicionam queijo creme, natas, etc, para dar a cremosidade típica, mas que não ocorreu com a cocção, porque o arroz não libertou o amido enquanto cozinhava.

Quando cozinhamos um Risotto o processo de confecção é diferente, porque a espécie de arroz é diferente. Para se obter a consistência cremosa que caracteriza um bom Risotto, esta é obtida pela libertação do amido do bago e não através da adição de queijo creme, natas ou outros "truques" já referidos. Agora... como é que esse "fenómeno" acontece?

Mexendo continuamente!!!

A partir do momento em que se adiciona o caldo (um bom Risotto deverá ser feito com caldo), começa-se a contar o tempo e deve-se mexer continuamente até atingir o ponto.

O caldo deve ser adicionado aos poucos. Rega-se o arroz até ficar quase coberto e deixa-se evaporar até fazer um ponto estrada, ou seja, quando passamos a colher no fundo do tacho, fica uma linha, que depois volta a fechar.

Quando se está perto do final do tempo, dever-se-á ter cuidado com a adição do caldo. O Risotto não deve ficar demasiado seco (firme e hirto 😄), nem com demasiado molho, como um arroz malandrinho. A consistência é CREMOSO!!!


PONTO DE CONFECÇÃO

. Arroz Arbóreo - 15 a 17 minutos
. Arroz Carnaroli - 18 minutos
. Arroz Vialone Nano - 16 a 19 minutos

Então vamos lá...

RISOTTO - RECEITA BÁSICA


INGREDIENTES (3 pessoas)

. 1 medida de arroz Arbóreo ou Carnaroli (uso um copo medidor de 250ml)
. 2 chalotas picadas (também podem usar 1/2 cebola picada)
. Q.b. azeite
. 100ml vinho branco
. 1L caldo de frango ou legumes (o melhor é caseiro, mas pode ser Knorr)
. 2 c. sobremesa de manteiga
. Q.b. sal e pimenta
. Q.b. queijo Parmesão ralado

PREPARAÇÃO

. Fazer o caldo (Knorr), ou aquecer se estiver feito (deve estar bem quente).
. Refogar  ou "puxar" a chalota no azeite.
. Adicionar o arroz, fritando um pouco.
. Refrescar com o vinho branco e deixar evaporar.
. Adicionar o caldo aos pouco, quase cobrindo o arroz e começar a contar o tempo a partir deste momento.
. Mexer continuamente, deixando o caldo reduzir até quase um ponto estrada.
. Repetir o processo adição de caldo/redução quase até ao final do tempo, tendo em atenção que este não deve ficar nem demasiado seco, nem demasiado "caldoso".
. Quando o arroz atingir o ponto, retirar do lume e adicionar a manteiga, para interromper o processo de cozedura.
. Temperar com sal e pimenta (cuidado com o sal se usarem caldo Knorr)
. Adicionar o queijo Parmesão a gosto

NOTAS:

 - Menciono 1L de caldo, mas não o costumo usar na totalidade. Não há uma quantidade certa de caldo que consiga indicar, pois a absorção de líquido é diferente entre espécies de arroz.
Esta também varia se fizerem, por exemplo, um Risotto verde de salsa ou espinafres ou rosa de beterraba. A cor intensa obtém-se através da clorofila extraída da salsa ou dos espinafres ou dos sucos da beterraba. Como são ambos líquidos, a adição de caldo será menor. (É o mesmo princípio para as pastas frescas com cor).

- O queijo é facultativo. Em Itália muitos Risottos são servidos sem adição de queijo.

amostardanonariz
Risotto de Salsa d' A Mostarda no Nariz








Comentários

  1. Adoro Risotto. E é engraçado o facto de pessoas chamarem risotto quando o fazem com Carolino.
    Costumo fazer com Carnaroli da marca Atlantic le chef. Nunca vi nenhuma marca com um arroz tão bom.
    Gostei muito do artigo.
    Beijinhos

    www.paopaoqueijoqueijo.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Pão Pão Queijo Queijo!
      Não conheço essa marca, mas vou experimentar!
      Obrigada pela dica e pelo comentário.
      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

SALADA PRIMAVERA

PANQUECAS DE TAPIOCA E BANANA (só com 3 ingredientes)

EMPADÃO DE CARNE DA MINHA MÃE